Defesa de Dissertação de Mestrado de Maria Isabel Farias Carneiro 27/02 às 09hs

postado em 6 de fev de 2014 16:31 por Franklin de Souza Ramalho   [ 18 de fev de 2014 09:07 atualizado‎(s)‎ ]
Candidato: Maria Isabel Farias Carneiro
Título do trabalho:
Abordagem Multidimensional para a Avaliação da Acessibilidade de Interfaces Vocais Considerando a Modelagem da Incerteza
Orientador(es):
Joseana Macêdo Fechine Régis de Araújo e José Eustáquio Rangel de Queiroz

Data: 11/03/2014
Horário: 09hs
Local: Auditório do CEEI


Banca examinadora: 
Maria Elizabeth Sucupira Furtado (UNIFOR), José Antão Beltrão Moura (UFCG).

Resumo:
O desenvolvimento de interfaces vocais (VUI – Vocal User Interfaceper se não é uma garantia para um processo interativo de qualidade entre usuários com deficiência visual e sistemas computacionais. Com o intuito de avaliar os problemas de acessibilidade em VUI, a presente pesquisa focalizou a proposição de uma abordagem metodológica multimétodos, baseada na inspeção de conformidade do produto a padrões consensuais da área, na mensuração do desempenho dos usuários e na sondagem da satisfação subjetiva dos usuários. Além disso, visando a evidenciar a incerteza associada aos julgamentos do avaliador na inspeção de conformidade do produto, incorporou-se a modelagem de incerteza, a partir da utilização de redes Bayesianas, possibilitando ao avaliador explicitar os níveis de incerteza associados às inspeções de conformidade do produto a um padrão, por ele realizadas.  A abordagem metodológica foi validada a partir de um estudo de caso envolvendo a avaliação da acessibilidade do sistema computacional DOSVOX, desenvolvido na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com o objetivo de auxiliar usuários com deficiência visual no uso do sistemas computacionais. No enfoque da inspeção de conformidade, consideraram-se as partes 14 (Diálogos via menus), 17 (Preenchimento via formulários) e 171 (Guia de acessibilidade de software) do Padrão Internacional ISO 9241. Por outro lado, nos enfoques da mensuração de desempenho e da sondagem da satisfação subjetiva dos usuários, foram realizados testes de acessibilidade, envolvendo um universo amostral de 100 usuários (40 cegos, 20 com baixa visão e 40 sem deficiência visual). Os participantes foram classificados e agrupados como principiantes ou intermediários, de acordo com o nível de experiência com sistemas computacionais e com o produto avaliado, bem como conforme o tipo de deficiência visual. Os dados resultantes dos testes foram processados estatisticamente, a fim de verificar a existência de diferenças entre os desempenhos dos grupos de usuários (cegoscom baixa visão e sem deficiência visual) e entre as categorias de usuários de cada grupo (principiantes intermediários). Os resultados evidenciaram a inexistência de diferenças significativas entre os desempenhos dos grupos, bem como entre as categorias de usuários. A confrontação dos resultados dos três enfoques demonstrou que a abordagem de avaliação produziu resultados complementares e culminou na identificação de um conjunto mais abrangente de falhas de usabilidade e acessibilidade associadas ao produto.
Comments