Dissertação de Mestrado: 31/08/2011, 14:00.

postado em 23 de ago de 2011 05:06 por Hyggo Oliveira de Almeida   [ atualizado em 31 de ago de 2011 10:07 por Nazareno Ferreira de Andrade ]
Aluno: Edigley Fraga. 
Título: 
Estimando o Valor de uma Grade P2P usando Provedores de Infraestrutura como Serviço como Parâmetro de Comparação. 
Banca Examinadora: Prof. Francisco Brasileiro, UFCG (Orientador), Prof. Dalton Guerrero, UFCG (Orientador), Prof. Nazareno Andrade, UFCG, Prof. Hermes Senger, UFSCAR. 
Data: 31/08/2011. 
Horário: 14:00. 
Local: Auditório do CEEI. 
 
Resumo: Há anos as Grades de Desktops têm sido usadas como solução de baixo custo para a execução de aplicações massivamente paralelas (BoT, do inglês Bag-of-Tasks), que demandam pouca garantia de qualidade de serviço (QoS) e representam uma grande parcela das aplicações de e-science. A despeito do longo tempo de uso, até o presente momento tem sido difícil estimar o valor que uma grade de desktops fornece aos seus usuários. A tarefa é especialmente difícil se houver a intenção de utilizar métricas de negócio (valor monetário), visto que a receita financeira resultante da execução de aplicações de e-science é comumente indefinida. Em particular, esta lacuna é ainda mais evidente nas grades entre pares (ou P2P, abreviação do inglês peer-to-peer), um tipo de grade de desktops baseada na federação de recursos pertencentes a diferentes domínios administrativos. Recentemente, a Computação na Nuvem, por meio da provisão de Infraestrutura como Serviço (IaaS), emergiu como alternativa atraente para a execução de aplicações BoT, oferecendo, também a baixo custo, maior controle de QoS e diferentes opções de execução. Diferentemente do ambiente de grade, na IaaS o conceito de valor monetário está umbilicalmente ligado à plataforma. Neste trabalho, é realizada uma comparação de desempenho entre as duas plataformas ao serem utilizadas para a execução de BoT típicas de e-science. Após uma análise do trade-off custo/desempenho resultante das execuções nas diferentes opções na nuvem, são identificadas opções representativas e seus custos são utilizados para estimar o valor que uma grade de desktops fornece a seus usuários. Também são considerados os custos extras incorridos aos participantes, objetivando identificar se a plataforma de grade se mantém efetivamente como solução de baixo custo diante da onipresença do paradigma da computação na nuvem. Os resultados obtidos confirmam a efetividade da grade de desktops como solução de baixo custo e, devido a limitações de escalabilidade dos atuais provedores de IaaS, considerando a relação custo/benefício, consegue obter uma valoração competitiva mesmo diante da melhor opção atualmente existente na nuvem. Ainda, para usuários preocupados majoritariamente com o custo, mesmo com poucos participantes, a grade se apresenta como opção superior à nuvem. Para cenários de grades pequenas e usuários cuja principal preocupação está no desempenho, e não no custo, a grade não se mostra como opção efetiva e a nuvem, pelo menos nominalmente, apresenta-se como a opção mais adequada. 

Agradecemos a sua presença.