Defesa de Dissertação de Mestrado N.º 559 - Renato Almeida de Freitas, em 09/02, às 14hs

postado em 19 de dez de 2014 10:34 por Franklin de Souza Ramalho   [ 18 de mar de 2015 13:27 atualizado‎(s)‎ ]
Candidato: Renato Almeida de Freitas
Título do trabalho: Geração de Manobras Finais de Recomposição de Subestações do Sistema Elétrico
Orientador(es): Jacques Philippe Sauvé

Data: 9/2/2015
Horário: 14:00hs
Local: Auditório CEEI

Banca examinadora: Jacques Philippe Sauvé (Orientador), Wellington Santos Mota (UFCG), Jorge Abrantes (UFCG).

Resumo: No contexto da Companhia Hidro-Elétrica do São Francisco (CHESF), a recomposição do sistema elétrico está sujeita a falhas causadas por erros na interpretação, durante a execução em tempo real, das IOs (Instruções de Operação). Uma IO é um documento normativo que descreve o plano de recomposição de uma subestação; IOs são documentos complexos, caracterizados pelo uso de linguagem natural e estrutura limitada, o que possibilita a presença de ambiguidades no texto e favorece a ocorrência de erros de interpretação durante a execução. Qualquer instrução executada erradamente pode causar graves danos à rede elétrica, o que tende a atrasar ainda mais o processo. A demora na restauração do sistema, por sua vez, causa enorme prejuízo à sociedade e perda de receita à companhia, em virtude da indisponibilidade de equipamentos e da interrupção no fornecimento de energia elétrica. Este trabalho tem como objetivo propor uma solução inovadora para diminuir a quantidade de erros operacionais durante a execução de uma IO. A solução desenvolvida é composta por três passos fundamentais: (i) estruturação dos planos de recomposição da companhia utilizando uma linguagem de alto nível criada para este propósito; (ii) tradução dos planos estruturados em manobras finais de recomposição, compostas apenas por comandos atômicos e (iii) exportação das manobras para uma ferramenta capaz de controlar a execução destas e auditá-las através do sistema SCADA da companhia. A validação da pesquisa foi conduzida em parceria com especialistas na recomposição do sistema elétrico da CHESF. Ao todo, seis IOs da CHESF foram convertidas para o modelo proposto, com o intuito de verificar a corretude da nova abordagem. Além disso, dois engenheiros da companhia analisaram e aprovaram o modelo de solução apresentado. Entre os principais benefícios da solução apontados pelos especialistas, destacam-se: (i) diminuição do esforço de manutenção dos planos de recomposição, (ii) diminuição dos erros de caráter técnico e de digitação na elaboração dos planos de recomposição e na interpretação das manobras e (iii) introdução de auditoria no fluxo de execução da manobra, o que automatiza parcialmente a tarefa e elimina a necessidade de análises em tempo real pelo operador.
Comments